Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

E o Economista Sou Eu

E o Economista Sou Eu

Os saldos já chegaram!

Saldos.png

 

 

Mas é preciso ter calma! :-)

 

Se por um lado é uma altura boa para conseguirmos algumas peças a um preço mais baixo, por outro, às vezes cometemos excessos sem necessidade.

 

Vamos deixar algumas dicas para sobreviver aos saldos sem destruir o orçamento mensal.

 

 

Nada de ir às compras quando está chateado ou triste

Já se sabe que muitas vezes o acto de ir às compras é um refúgio para “tapar” dias menos bons ou mesmo alguns problemas, não vá nesses dias. Espere que o animo esteja “up” e vá!

 

Listas feitas

Organize-se! Faça listas do que precisa, ou do que quer oferecer. Não vá em “queda livre” senão arrisca-se a comprar o que não precisa.

 

Online

É daquelas pessoas organizadas que nos últimos meses namorou peças em várias lojas, apontou-as num bloco ou no seu telemóvel e esperou para ver se iam para saldos? Se sim, agora agarre-se ao online e aproveite para as comprar. A vantagem do online é que não vive na confusão das lojas nesta altura, não cede a muitas tentações e pode estar no conforto do seu lar às horas que quiser a comprar, desde que saiba o que quer e os tamanhos.

 

Arrume o armário

Já sabe quando começam os saldos, no fim-de-semana antes dê uma arrumação no seu armário e veja que peças precisam de ser substituídas ou quais é que precisa e não tem. Assim já vai com uma ideia preconcebida.

 

Mínimos olímpicos

Há aqueles básicos que temos que ter sempre no armário. As tais calças pretas, camisa branca, um blazer, umas boas jeans, sapatos pretos, as peças de algodão e etc... Veja se tem estas peças, senão aproveite pode ser que lhe apareça uma pechincha!

 

Organize-se financeiramente

Antes de sair de casa, faça contas à vida e veja quanto pode gastar. Se quiser faça duas listas, uma com o valor que quer gastar nas peças que sabe exactamente que precisa e outra para as eventuais pechinchas.

 

Dinheiro vivo

Levante o dinheiro que quer gastar, porque assim não cede a tentações e tem sempre noção do quanto já gastou. Estabeleça um orçamento e não o ultrapasse.

 

Evite a confusão

Se puder vá sempre de manhã, a loja estará mais vazia e menos confusa. Poderá escolher melhor e evita aquelas guerras do “puxa peça” que tanto se vê.

 

Pense a longo prazo

Pense como vai ser o seu ano, se tem aquele casamento da prima, a viagem à Tailândia, aniversários... e aproveite os saldos para isso também. Resolve logo o assunto e provavelmente consegue arranjar coisas a preços fantásticos.

 

O mais confortável possível

Nestes dias o conforto é muito importante! Evitar muitas peças, acessórios e calçado difícil de tirar e pôr. As idas aos provadores serão uma constante por isso se facilitarmos, será melhor. Os centros comerciais estão sempre com boa temperatura, evite os cachecóis e gorros, irão ser um estorvo! Aposte no calçado mais fácil que tiver que calçar e descalçar.

 

Às vezes o barato sai caro

Cuidado para não se deixarem levar pelas promoções grandes em peças que não precisam, aposte sempre naquelas peças que sabe que vai usar muitas vezes e que lhe faz falta.

 

Tenha paciência

Na altura dos saldos as lojas mais parecem bancas da feira, mas temos que ter paciência para procurar o que precisamos. Não desista porque às vezes debaixo de um monte pode estar aquela peça que namorou nos últimos meses.

 

Olhe para a peça e imaginei-a no seu armário

Quando comprar uma camisola por exemplo, imagine logo como a vai vestir. Se tem peças no armário que conjuguem com ela, imagine logo o “boneco” montado. Porque se não tiver nada que conjugue com essa peça, veja se vale mesmo a pena comprar, ou se é uma peça que só vai usar uma ou outra vez, porque só tem umas calças e umas botas que fiquem bem. Compre peças que consiga rentabilizar.

 

Qualidade versus quantidade

Veja se realmente vale a pena comprar 3 camisolas na loja X pelo mesmo valor de 1 camisola na loja Y, sendo que a qualidade da última é muito superior. Temos que pensar que depois ao fim de uma ou duas utilizações vêm os borbotos, punhos largos, ficam penduronas... Não caia na tentação da quantidade.

 

Experimentar sempre

Nesta altura não dá para vacilar, porque depois chega a casa não serve e quando volta à loja já não há o seu tamanho. Se tiver dúvidas entre tamanhos, experimente sempre. E assim também evita aquele sabor desagradável de chegar a casa e não servir.

 

Modas

Cuidado com as tendências, porque hoje aquele casaco rosa choque pode ser um grito de moda mas nos próximos anos não será e ficará eternamente encostado no seu armário.

 

Fases dos saldos

Já sabemos que começam com promoções mais baixas e depois começam a subir, isto tem um efeito de pau de dois bicos. Se quer arriscar e esperar pelos saldos mais altos, arrisca-se também a não encontrar a peça que quer. As peças que quer mesmo, talvez seja melhor comprar logo que caiam nos saldos, as que for um capricho espere para ver se o preço ainda baixa mais.

 

Não compre

Sempre ouvimos dizer que: Na dúvida não compre! Se pegar numa peça e não tiver a certeza que a vai vestir, ou não saber quando vai ter oportunidade de a usar ou ainda se tem o que conjugar com ela, não compre. Dificilmente a vai usar.

 

Tamanho certo

Compre sempre peças do seu tamanho, não leve o número a cima ou a baixo só porque está em saldos. Compraria assim no preço normal? Não pois não? Não compre, porque ou irá magoar de tão apertado ou vai ficar encostado por parecer uma saca de batatas. E não compre peças para as mandar apertar, só se compensar muito.

 

Vá de olho aberto

Compare sempre os preços, porque os saldos não são só bons para os compradores, para os comerciantes é uma altura boa de se livrarem de peças que não venderam ao preço normal e precisam de espaço no armazém para a nova coleção e com as margens altíssimas que têm, continuam a ganhar muito sobre cada peça mesmo nos saldos. Todas as peças devem exibir, de forma legível o preço antes dos saldos e o preço com os saldos, ou a percentagem do desconto.

 

Lojas que têm a mania de ter regras próprias

Não se deixem enganar por frases como: “Não fazemos trocas nos saldos.” Se o artigo tiver defeito o comerciante é obrigado por lei a trocar, excepto se existir uma indicação a dizer que o preço reduzido é derivado ao artigo ter defeito, senão, é obrigado a trocar.

 

Devoluções

Outra coisa que por vezes acontece é quando compra uma peça antes dos saldos e devolve na altura dos saldos, poderão eventualmente querer devolver o valor monetário que a peça vale agora nos saldos, mais uma vez é ilegal. Tenha sempre consigo o talão e a devolução tem que ser exactamente do valor que pagou.

 

Regras próprias

Tal como dissemos em cima, há várias lojas que na altura dos saldos criam regras específicas, mas nem todas são abrangidas pela lei em vigor. Por exemplo: “Peças em saldo pagamento exclusivo a dinheiro”. Não pode! As lojas têm que aceitar os mesmos meios de pagamento para peças dentro e fora dos saldos.

 

Reclame

Sempre que os lojistas não cumprirem a lei e/ou respeitar os seus direitos reclame. Escreva no livro de reclamações, se for preciso chame a polícia ao local e recorra à ASAE, mas não se deixe enganar.

 

Boas compras e já sabe: sempre com consciência!

 

 

5 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

E-mail:

eoeconomistasoueu@gmail.com

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D

Também estamos aqui:

Follow
Todos os conteúdos presentes neste blogue são propriedade de eoeconomistasoueu.blogs.sapo.pt salvo indicação em contrário.

Pesquisar